segunda-feira, 9 de outubro de 2017

INVESTIR NAS CRIANÇAS


Roberto Gameiro
É atribuída a Platão (427 a 347aC) a frase: A orientação inicial que alguém recebe da educação também marca a sua conduta ulterior.
A LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) regula, desde 2013, que a educação básica é de matrícula obrigatória dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos de idade.
A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2015 aponta um crescimento da taxa de escolarização de crianças de 4 e 5 anos. Em 2007, 70% dessas crianças frequentavam a escola. Em 2011, 77,4%, e, em 2015, 84,3%. Ressalto o aumento do percentual após o MEC definir a obrigatoriedade a partir dos 4 anos de idade. São boas notícias.
Por que esses dados são importantes?
“Os investimentos na educação das crianças até a faixa dos 6 anos de idade são decisivos para o sucesso na vida adulta”.  Essa afirmação é de James Heckman, prêmio Nobel de Economia de 2000, que esteve no Brasil recentemente. Nas entrevistas que tem dado a jornais e revistas, Heckman ainda diz que essa é uma fase em que o cérebro se desenvolve em velocidade frenética e tem um enorme poder de absorção, como uma esponja. Informa, ainda, que países que não investem na primeira infância apresentam índices de criminalidade mais elevado e níveis menores de produtividade, e lamenta que essa fase seja negligenciada.
Não basta, entretanto, que estejam matriculados. É preciso levar em conta a qualidade do serviço prestado pela escola, que, em média, no ensino público, no Brasil, é muito baixa.
Por outro lado, além da escola, Heckman proclama a necessidade de políticas públicas que façam convergir diversos agentes como famílias, creches, pré-escolas, centros de saúde e outros órgãos, em prol da integração das crianças à sociedade, longe da violência e com bom poder de julgamento e autocontrole.
E completa afirmando que investir nessas faixas etárias é o caminho mais certeiro para pôr um país na rota do desenvolvimento.
Por oportuno, vale lembrar que Paulo Freire já dizia que não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.
Vamos fazer a nossa parte!
Artigo editado e publicado no jornal “O Popular” de Goiânia em 03/10/2017.
Share:

2 comentários:

  1. Maria Carmen Tavares Christóvão4 de dezembro de 2017 10:54

    Parabéns Roberto! Tanto pela importância do tema abordado, quanto pela coerência na narrativa. Profa. Maria Carmen

    ResponderExcluir
  2. Giuliano Gisliano Zardini4 de dezembro de 2017 10:56

    A educação sempre foi considerada por países desenvolvidos uma prioridade. Infelizmente estamos a passos de formiguinha neste caminho, por vários motivos e por este também somos ainda um pais em desenvolvimento.

    ResponderExcluir

TRADUZA - TRANSLATE

Sobre Roberto Gameiro

Sobre Roberto Gameiro
Pedagogo habilitado em Administração e Supervisão Escolar, Licenciado em Letras Modernas Português-Inglês, Pós-graduado com Especialização em Avaliação Institucional Escolar, e Mestre em Administração com ênfase em Gestão Estratégica de Organizações, Marketing e Competitividade. Diretor de escolas de Educação Básica, Professor universitário e de Educação Básica, e Diretor de Obras Sociais. É palestrante e tem seus artigos publicados em jornais, revistas e redes sociais.

Adquira já o livro digital!

Adquira já o livro digital!
O TEXTO NO CONTEXTO COMO PRETEXTO: PARA LEITURA E DEBATE EM FAMÍLIA - COM OS FILHOS

Reprodução

Autorizada, desde que com a citação dos nomes do Blogue e do Autor.

Sobre o Blogue

FRUTO DA FORMAÇÃO E DA EXPERIÊNCIA PESSOAL E PROFISSIONAL DO AUTOR, ESTE BLOG ABRIGA ARTIGOS SOBRE “EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES” E SOBRE “GESTÃO ESCOLAR”. NA SEÇÃO “EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES”, ESPERA-SE QUE OS ARTIGOS POSSIBILITEM LEITURA E DEBATE EM FAMÍLIA, ESPECIALMENTE COM OS FILHOS, NAS DIVERSAS FAIXAS ETÁRIAS. NÓS PAIS ESTAMOS SEMPRE PROCURANDO ENCONTRAR VIAS DE COMUNICAÇÃO COM OS NOSSOS FILHOS, MAS NEM SEMPRE ENCONTRAMOS O VEIO PROPÍCIO, NÃO É? AQUI ESTÁ UMA POSSIBILIDADE. NA SEÇÃO “GESTÃO ESCOLAR”, ESPERA-SE QUE OS ARTIGOS CONSTITUAM SUBSÍDIOS ÚTEIS PARA AS ÁREAS DE DIREÇÃO, SUPERVISÃO, COORDENAÇÃO E DOCÊNCIA. SÃO PUBLICADOS, TAMBÉM, TEXTOS DE OUTROS AUTORES, QUE AGREGUEM VALOR AOS OBJETIVOS DO BLOG. BOAS LEITURAS!

Pesquisar neste blogue

Busca na Wikipedia. Digite o assunto.

Resultados da pesquisa